fbpx

O que é a logística reversa de embalagens e como isso pode contribuir para as empresas

Logística reverda de resíduos

A sua empresa precisa de uma solução sustentável, certo?

A princípio, a logística reversa de embalagens pode parecer um termo complicado, mas a verdade é que ela tem um conceito bastante fácil de compreender e muito simples de ser aplicado na prática.

É com a logística reversa que a sua empresa pode crescer de modo sustentável, cumprindo as leis ambientais e fomentando a economia verde.

Já comentamos aqui no blog do ILOG sobre economia circular e como isso pode trazer enormes benefícios para o seu negócio a médio e longo prazo, afinal de contas, um sistema econômico linear, assim como o conhecemos hoje, não é ecoeficiente nem sustentável.

Economia Circular: princípios e benefícios

Os recursos do planeta são finitos, e explorá-los inconscientemente só traz prejuízos.

Mas como a sua empresa pode abraçar a sustentabilidade, assim como muitas já têm feito?

A solução para as questões socioambientais do seu negócio é a logística reversa de embalagens.

Neste artigo, nós vamos te contar tudo o que você precisa saber sobre a logística reversa e como ela pode beneficiar a sua empresa.

Logística reversa de embalagens: nome complicado, conceito simples
Não é uma opção, está na legislação
Responsabilidade compartilhada
O ciclo da logística reversa
Os benefícios da logística reversa para sua empresa
O impacto positivo da logística reversa 

Vamos lá?

Logística reversa de embalagens: nome complicado, conceito simples

Talvez a palavra “logística” já faça parte do seu dicionário e seja familiar para você.

Mas, basicamente, a logística é uma estratégia de gerenciamento eficiente de recursos e matéria-prima de uma empresa. 

Ou seja, quando falamos em logística reversa, nos referimos ao retorno (caminho inverso) de uma embalagem que um dia era apenas matéria-prima. 

Assim, essas embalagens que retornam às companhias depois do consumo são recicladas e voltam a ser insumo dentro do ciclo produtivo da própria empresa ou de empresas parceiras, que estão envolvidas no processo circular de economia.

Que tal um exemplo prático para entender ainda melhor?

Sabe aquela garrafa de vidro de refrigerante que você devolve ao mercado? Isso é logística reversa também.

Pensando no ciclo completo desse mesmo produto, temos a seguinte cadeia: 

  • A matéria-prima se tornou uma embalagem de vidro;
  • A embalagem recebeu o produto consumível, que é o refrigerante;
  • O produto foi distribuído e vendido;
  • Após o consumo do refrigerante, a embalagem de vidro foi devolvida pelo consumidor no ponto de venda;
  • A embalagem retorna, então, à empresa fabricante por meio de cooperativas de reciclagem autorizadas, responsáveis por coletar e fazer a triagem do material.

Esse ciclo fechado de produção, diferente do sistema linear que negligencia o descarte correto e a reciclagem, tem tudo a ver com economia circular e depende de uma cadeia de cooperação muito bem organizada. 

Por isso, agora quando alguém perguntar o que é logística reversa de embalagens você vai saber responder: é reutilizar, no ciclo de produção, o que foi consumido, separado, retornado e reciclado

Mas colaborar para esse ciclo não é apenas uma questão ambiental. E é isso o que vamos ver agora. 

Não é uma opção, está na legislação

A logística reversa também protege a sua empresa das leis ambientais, principalmente a Lei 12.305 de 2010, na qual está prevista a PNRS, Política Nacional dos Resíduos Sólidos. 

A PNRS veio para dar um panorama geral de gestão de resíduos sólidos e oferece instrumentos para facilitar o suprimento dessa necessidade ambiental.

A logística reversa é um desses instrumentos, um dos mais importantes.

Segundo a PNRS:

“A logística reversa é um Instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada”.

Para as empresas que não cumprirem com a política, há possibilidade de multas que vão de 5 mil a 50 milhões de reais.

Isso porque, cada instrumento da PNRS conta com alguns princípios fundamentais.

E, quando se trata da logística reversa, o princípio da responsabilidade compartilhada é um dos mais importantes

Vamos entender por quê?

Responsabilidade compartilhada

Você já percebeu que a logística reversa se concretiza em uma cadeia circular, certo?

Exatamente como o exemplo que demos sobre a embalagem de vidro de refrigerante. 

Cada instituição responsável por uma ação específica dessa cadeia deve fazer a sua parte para que as embalagens continuem indo para o lugar certo, até que estejam mais uma vez no ciclo produtivo da empresa fabricante ou de suas parceiras.

Isso inclui fabricantes, distribuidores, transportadores, comerciantes, consumidores e cooperativas de limpeza e reciclagem.

Segundo a Lei 12.305/10:

A responsabilidade compartilhada pelo ciclo de um produto é um conjunto de atribuições individualizadas e encadeadas dos fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, dos consumidores e dos titulares dos serviços públicos de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos, para minimizar o volume de resíduos sólidos e rejeitos gerados, bem como para reduzir os impactos causados à saúde humana e à qualidade ambiental decorrentes do ciclo de vida dos produtos”. 

A partir do momento em que a responsabilidade compartilhada entra em ação, o ciclo da logística reversa se torna simples e fluido. 

E que tal entendermos um pouco mais sobre esse ciclo e a cadeia de ações responsável por viabilizar a logística reversa de embalagens?

O ciclo da logística reversa

O ciclo do caminho reverso de um produto ou embalagem, criado a partir do princípio de responsabilidade compartilhada, se dá por meio das seguintes etapas:

  1. A logística reversa começa pelo fim do ciclo do produto, ou seja, pelo seu destino final: a casa do consumidor. Ele precisa separar o lixo e fazer o descarte ou encaminhamento adequado;
  2. O consumidor encaminha as embalagens recicláveis para os PEVs, Pontos de Entrega Voluntária, que devem ser garantidos pela prefeitura e pelas fabricantes, importadoras e distribuidoras dos produtos;
  3. Os coletores das cooperativas de reciclagem autorizadas devem ser prioridade para a coleta de resíduos nos PEVs, eles são responsáveis pela triagem e encaminhamento para a reciclagem das embalagens. Os coletores individuais também têm papel importante, uma vez que vendem os resíduos às cooperativas;
  4. Os institutos de logística reversa são mediadores entre as cooperativas de reciclagem e as empresas, fornecendo as notas fiscais geradas por tais cooperativas através da reciclagem de materiais. Esses institutos também têm o poder de certificar as empresas que estão no início da cadeia (as criadoras ou importadoras dos produtos) com o selo verde – a prova legal de que a empresa contribui para a logística reversa.
  5. Chegando no topo da cadeia de logística reversa, os materiais reciclados são novamente insumo no ciclo produtivo das empresas. É importante destacar que nenhuma das etapas anteriores é possível se a empresa responsável pela embalagem não estiver utilizando a logística reversa. Tais empresas devem monitorar o ciclo de suas embalagens e garantir o apoio às cooperativas, bem como criar PEVs nos pontos de venda.

E depois de fazer tudo isso, o que a sua empresa ganha?

Os benefícios da logística reversa para sua empresa

Além estar em dia com as leis ambientais e evitar multas pelo descumbrimento da PNRS, o seu negócio ainda:

  • Tem os custos reduzidos para fabricação ou importação, uma vez que o insumo reciclável garante a redução de recursos que precisam ser extraídos do zero;
  • Aumenta as oportunidades de negócios a partir da economia compartilhada, pois pode trocar experiências e perceber chances valiosas a partir do contato com as empresas interessadas em fazer parte da economia circular da logística reversa;
  • Ganha destaque no mercado e vantagem competitiva, já que os consumidores estão, cada vez mais, optando por negócios sustentáveis e empresas cujo propósito está atrelado à contribuição para um futuro com menos lixo.

O impacto positivo da logística reversa 

Não é apenas a sua empresa que ganha com a logística reversa! Os impactos positivos também afetam a sociedade e, claro, o meio ambiente.

Além de gerar redução da poluição, da extração de recursos naturais e da geração de resíduos, seu negócio ainda colabora para a geração de empregos de milhares de coletores, cujo trabalho ainda é pouco valorizado.

Em 2050, se o ritmo de crescimento da população e os padrões de consumo atuais  continuarem como estão, a população precisará de três planetas Terra por ano. E nós não temos um planeta B.

Isso significa que a logística reversa faz parte das tendências sustentáveis para as próximas décadas.

E o quanto antes sua empresa aderi-la, melhor preparada ela estará para construir um futuro melhor e inspirar as pessoas a fazer o mesmo. 

Continue acompanhando o ILOG aqui pelo nosso blog ou pelas redes sociais @ilogpr

Assine nossa newsletter e receba novidades da ILOG

Solicite um Orçamento

Obrigado por assinar nossa newsletter!